Projetos em andamento

O estabelecimento das tecnologias digitais como ambiente de difusão da informação trouxe desafios importante para as disciplinas ligadas às humanidades. As respostas a este desafio têm sido variadas: alguns de nós seguimos conduzindo nossas pesquisas no século XX; outros procuramos nos inserir no ambiente das tecnologias digitais como usuários mais ou menos proficientes – mas poucos temos nos comportando como agentes dessas tecnologias, e raríssimos são aqueles entre nós que as têm abordado como objeto de reflexão crítica aprofundada. Este projeto propõe a fundação de um corpo metodológico e investigativo que contribua para o desenvolvimento de caminhos reflexão crítica sobre a relação entre as humanidades e o mundo digital na comunidade de pesquisa brasileira. Acreditamos que a reflexão neste campo não apenas é relevante no atual contexto acadêmico, como toma, de fato, o caráter de urgência, se as humanidades desejam assumir um papel ativo no desenvolvimento da sociedade do conhecimento atual, sem aceitar o papel coadjuvante num processo liderado por outras áreas.

Para nos tornarmos parte ativa neste processo precisamos abordá-lo com o rigor crítico característico das humanidades, ou seja, abordá-lo a partir de um distanciamento informado. Para isto, precisamos, antes de tudo, compreender as tecnologias digitais, estudar profundamente seu funcionamento, como é próprio das humanidades no tratamento seus campos de estudo. Partiremos da constatação de que o meio digital estabeleceu-se irreversivelmente como o ambiente por excelência de difusão da informação a partir já dos primeiros anos deste século – e iremos propor a discussão sobre os sentidos, os efeitos, as implicações sociais, culturais e científicas desse processo. Em que medida as possibilidades abertas pelo meio digital modificam o grande campo a que chamamos “as humanidades”? Em que medida os limites ali estabelecidos modificam este campo? As humanidades poderão, talvez, permanecer imunes aos efeitos das novas formas de circulação do conhecimento? E, se não poderão, que sentidos podem ser dados a essas novas formas no âmbito das humanidades? Neste ponto, nossa postura crítica característica se beneficiará do conhecimento adquirido também como um instrumento a ser dominado – permitindo-nos unir a perspectiva sobre a informação digital como objeto teórico ao domínio da tecnologia digital como ferramenta da nossa construção de conhecimento.

Esta discussão tem poucos precedentes no nosso ambiente acadêmico, mas tem sido uma constante em diversos centros internacionais de vanguarda na área das humanidades. Forma-se, de fato, o campo chamado as “Digital Humanities”, ou Humanidades Digitais – campo de pesquisa e inovação que poderia ser descrito como radicalmente interdisciplinar. Melhor dito, um campo que vem rompendo os limites entre as disciplinas tradicionais, por unir historiadores, filósofos, filólogos e linguistas a matemáticos, cientistas e engenheiros da computação, e desenvolvedores de software. Não temos ainda, no Brasil, a tradição de grupos de pesquisa que reunam interesses tão diversos. Propomos, neste projeto, a consolidação de um grupo recém formado com essas características