Resumo


:: Filologia e ‘Humanidades Digitais’
:: Minicurso
::  Colóquio de Pesquisa Discente – CoPeD
:: Universidade de São Paulo
:: Novembro de 2018

O curso tem por objetivo fomentar um debate em torno das chamadas ‘Humanidades digitais’, com especial atenção a sua relação com a filologia e suas disciplinas afins, particularmente no âmbito do trabalho filológico sobre a língua portuguesa. Partiremos de uma discussão sobre o contexto histórico recente que explica o surgimento do próprio termo ‘Humanidades digitais’ e dos embates conceituais sobre suas implicações nas diferentes disciplinas da tradição humanística, internacionalmente. Debateremos, portanto, os desafios teóricos, metodológicos e institucionais trazidos pelas tecnologias computacionais para essas disciplinas, para em seguida concentrarmos a reflexão sobre os impactos do processamento automático de textos no âmbito da filologia e suas áreas afins. Partiremos da ideia de que as práticas do trabalho filológico tem sido interpeladas pelo uso da informática de um modo definitivo, obrigando-nos a uma tomada de posição crítica que precisa partir de um aprofundamento do conhecimento sobre as formas e consequências possíveis dessa interpelação. Nesse contexto, além de discutir a recente bibliografia já existente sobre o tema, faremos também um exame de iniciativas na filologia e em áreas afins que têm aliado as práticas tradicionais de pesquisa a tecnologias digitais, sempre no sentido de possibilitar esse aprofundamento de nosso conhecimento técnico e favorecer aquela tomada de posição crítica. Transversalmente, e por conta dessa busca por uma perspectiva crítica, buscaremos refletir sobre os desafios particulares colocados pelas tecnologias computacionais para o trabalho filológico no âmbito da lusofonia – e até, de um modo mais geral, para o mundo além dos limites da anglofonia, onde se cunhou originalmente o termo ‘Digital humanities’ e de onde emanaram seus moldes institucionais e políticos.


iníciobibliografia